Drop Down Menu

Creative Commons License
Texto sob licença Creative Commons

CONGRESSO PROFÉTICO-APOSTÓLICO RJ 2005

ESTE TEXTO FOI DIVIDIDO EM 3 PARTES:


1ª PARTE

2ª PARTE

3ª PARTE


1º DIA (19/01/2005)

Ansioso por conhecer os pregadores envolvidos nesse evento, principalmente Ana Méndez e Neuza Itioka, estou inscrito desde outubro de 2004 para poder participar de todos os dias do congresso (19 a 22 de janeiro de 2005).

No dia de abertura a programação se iniciou por volta da 18:00h, porém aí começaram minhas “surpresas”:


 Alguns dirigentes de Intercessão clamaram em oração por coisas como “VINDA DO REINO NO RIO DE JANEIRO” e ainda fizeram diversas profecias como, por exemplo, “O RIO DE JANEIRO SERÁ CHAMADO RIO DE SIÃO”, ou tantas outras coisas sem base bíblica alguma.

Em primeiro lugar, o Reino de Deus só virá após o cumprimento de todas e cada uma das profecias descritas por toda a Bíblia (apostasia, tribulação, anticristo, etc.) e, que eu saiba, a Bíblia como palavra de Deus tem de ser cumprida integralmente.

Onde estiverem reunidos dois ou três em nome de Jesus Cristo, lá estará Ele… porém não adianta reunir 4.000 pessoas ou mais para tentar apressar (ou até mesmo contradizer) algo que é a clara vontade de Deus expressa na Bíblia? Para que ir contra I João 5:14?


A constante e repetitiva referência sobre “devolver o Rio de Janeiro para Jesus”

Em Mateus 4:8-11, vemos satanás tele transportando Jesus Cristo para um monte muito alto e ofertando-Lhe TODOS OS REINOS DO MUNDO (conforme Ezequiel 28:17 e I João 5:19). Caso satanás não fosse o verdadeiro dono, certamente Jesus o repreenderia de outra forma… talvez com “como pode me ofertar algo que não é seu?”. Logo, as cidades, os estados, os países e os reinados estão sob o domínio de satanás e “devolver” algo para Jesus tem uma implicação muito maior, pois o Reino de Deus é espiritual e se reflete no mundo material, porém não mais existirá um paraíso nesta terra… essa idéia é dos Testemunhas de Jeová, não é?

E contrariando um pouco mais essa visão utópica, bonitinha, mas antibíblica, posso citar o próprio Jesus Cristo em Mateus 24: 21-22 e também II Timóteo 3… entre tantas outras possíveis citações.

Querer contrariar a Bíblia já não seria um pecado? Estariam estas pessoas se enquadrando no prescrito em Mateus 24:23-26, Colossenses 2:8-10, 18 e II Tessalonicenses 2:3-12?


Havia um estranho dançarino que usava um véu colorido (coincidência ou não, eram as cores do movimento GLS), um anel no dedo polegar direito (que, segundo o mundo, indica homossexualidade) entre outros vários anéis e cordões e adornos e enfeites.

Isso de forma alguma trouxe paz ou edificou meu coração: pelo contrário, aqueles movimentos estranhos conseguiram desviar minha atenção completamente do meu principal objetivo naquele momento que era a adoração.


Um louvor, em ritmo quase “funk”, faz menção a Jesus Cristo como sendo o “Cavaleiro do Vento” e repete “ad infinitum” a expressão “a dança dos dois exércitos”.

O “príncipe das potestades do ar” (Efésios 2:2) e “das hostes espirituais da maldade nos lugares celestiais” (Efésios 6:12) não é Jesus Cristo e sim Satanás: não há nenhuma menção bíblia a Jesus como “Cavaleiro do Vento”… muito estranho isso, não?


O Secretário de Segurança do Estado (Anthony Garotinho) foi diversas vezes “promovido” a governador, assim como houve uma oração com claro direcionamento humano sobre a vida política…

Pelos políticos (líderes) devemos orar pedindo a Justiça Divina, pois não estaremos julgando, mas sim entregando aquele político ao julgamento divino. Se digno for, será abençoado… caso contrário… a vontade de Deus será feita. Será que não confiamos o suficiente no Senhor para deixá-Lo julgar? Ou, como tenho ouvido: devemos pedir apenas bênçãos para os governantes… onde está escrito isso na Bíblia?


O Secretário Antony Garotinho, auxiliado por Ana Méndez, declarou em seu nome e em nome da governadora que o padroeiro da cidade do Rio de Janeiro é Jesus Cristo.

A idéia a princípio até me pareceu bela, porém a vida da caserna me lembrou que existem “postos de serviço” que são preenchidos de acordo com a patente. Quem é ou foi militar sabe que a guarda é feita por soldados rasos, direcionados por cabos, supervisionados por sargentos de cada seção ou esquadrão. Os sargentos se reportam a um oficial responsável por toda a unidade e assim por diante.

Logo, trazer meu Supremo General para ocupar o posto de uma imagem de idolatria, um demônio disfarçado de santo (… um recruta menos do que raso!) nada mais é do que menosprezar, subestimar, aviltar… rebaixar o Filho de Deus a uma posição indigna de Sua glória e Majestade! A posição mínima de Jesus Cristo é a de Senhor…

E assim termina meu relato das discrepâncias do 1º dia.

2º DIA (20/01/2005)

Esse foi um dia “integral”, ou seja, de oito da manhã até terminar (por volta das 22:00), porém o calor e o cansaço aliados às mesmas discrepâncias do dia anterior e mais algumas outras que relato abaixo fizeram com que eu e minha equipe nos retirássemos antes do término de fato.


O primeiro preletor, que Deus me perdoe, pareceu-me não estar querendo falar naquele momento. Solicitou um momento de reflexão e santificação, o que seria natural se não tivesse se estendido por muito mais tempo do que seria normal, além do fato de ficar conclamando que todos mantivessem o silêncio e vissem (!!!) Jesus Cristo. Uma exortação inicialmente bela começou a me preocupar quando começou a ter um sentido não mais espiritual, porém realmente ótico: ele realmente queria que todos ali presente vissem (com os olhos) a Jesus!

Em primeiro lugar, gostaria de parabenizá-lo, porque se ele consegue visualizar a pessoa de Jesus Cristo tem fé e uma vida na presença d’Ele. Porém eu tenho a obrigação de informá-lo que eu ainda ando conforme II Coríntios 5:7 e Romanos 10:17. Portanto sei que devo reclamar com Deus pela quantidade de fé que Ele me deu (segundo Romanos 12:3) não ser suficiente ainda para que eu enxergue Jesus Cristo presente. Sei que devo agir conforme Lucas 17:5, porém não precisava ser tão menosprezado quanto fui naquele momento, quando o preletor afirmou:

— Se todos vissem não necessitaríamos de uma mensagem! (Tudo bem… isso me pareceu que ele estava mesmo é com preguiça de falar!)

Ou, pior ainda:

— Se você não está vendo Jesus, no máximo é um bom evangélico… porém um verdadeiro cristão deve vê-lo!

Isso foi sério: essa ênfase foi na visão física e não na espiritual!!! Eu creio que se Jesus quiser ser visto por uma multidão o fará sem qualquer dificuldade, mesmo que nem todos ali tenham a fé necessária… o que não foi bem o caso naquele lugar.

Fiquei desgostoso e não consegui mais prestar atenção nas outras coisas que ele disse, fui ler a Bíblia e notei que ele estava querendo definir o termo “profético-apostólico”, mas ao ouvir esta frase: “…é tão fácil que se torna difícil de explicar…”, percebi que não estava tendo muito êxito.


Após este período onde batalhei não tão ativamente contra o sono, a próxima preletora seria Neuza Itioka, referenciada por Daniel Mastral.

A mensagem sobre a “Restauração da Noiva” foi ótima e baseada no conteúdo de seu livro “A Noiva Restaurada”. Só no final eu fiquei sobressaltado com um pequeno detalhe durante a leitura bíblica. Eu não sei qual a versão utilizada pela Neuza, só sei que ela leu um trecho de Apocalipse (creio que o capítulo 21) onde mencionou “a velha ordem já passou".

Êpa!!! Velha Ordem??? Que tradução é essa que dá margem a uma “Nova Ordem”? Fui logo buscar na NVI que tanto critico, porém dessa vez não era ela… e até agora busco saber que versão sinistra é essa ou se meus ouvidos me iludiram. Para quem não sabe, a “Nova Ordem Mundial” é um movimento de cunho satânico que envolve tudo que vai contra a vontade de Deus e promove o anticristo como solução para o mundo… por isso meu total espanto. Espero ter ouvido errado.

O período tarde-noite foi crucial para que hoje eu estivesse aqui, escrevendo esse relatório de perplexidade e assombro ao invés de estar lá para relatar um 3º dia. Vamos a ele:


Os líderes de intercessão têm a sinceridade do verdadeiro servo, porém parece que lhes falta o estudo bíblico, enquadrando-se em Oséias 4:6, eles se tornam grandes faladores de abobrinhas… e o povo, que se chama “de Deus” perece por falta de conhecimento.

Citando o Pastor Ronald Riffe:

“A enganação é a maior ameaça enfrentada pela igreja atualmente e devemos estar atentos porque Satanás está fazendo seu melhor para distorcer a visão dos fiéis e fazer com que vejam as coisas à sua maneira. O emocionalismo na adoração é uma de suas ferramentas mais eficientes e quando ele consegue ludibriar um filho de Deus a parar de pensar e começar a “sentir” — a batalha pelo controle da carne está perdida. A própria oração pode se tornar um pecado quando abandonamos o pensamento lógico e racional submetendo o intelecto ao controle das emoções. Paulo claramente nos diz que em nossa carne “não habita bem algum” (Romanos 7:18) e que ela é nossa inimiga espiritual. A emoção é tão natural quanto respirar e quando mantida sob o controle do intelecto ela não é espiritualmente ameaçadora, mas se lhe é permitido fluir livremente — nada de bom poderá surgir daí. Deus nunca é glorificado pelas exibições da nossa carne.”


Uma coisa tenebrosa que vi foi uma nova interpretação do Salmo 115:16, onde a intercessora mandou substituir “filhos dos homens” por “igreja” e, pior ainda, disse que Jesus, na cruz, nos comprou esta terra!!!

Misericórdia! O termo “filhos dos homens” significa a humanidade pecadora de um modo genérico… nada, mas nada em comum com a igreja de forma alguma!!! (Ou será que a apostasia já está tão avançada assim? Começo a me preocupar com sinceridade…) Como eu já citei anteriormente, todos vocês que estão lendo até aqui já sabem a quem esta terra pertence e notam o quão prejudicial é toda essa invencionice e “super-santificação” da Bíblia Sagrada!!! A Bíblia NUNCA se contradiz e tais afirmações são desconexas, de significado não aplicável e um anátema a própria palavra de Deus.

Jesus, no Calvário, nos deu salvação, vida eterna, o direitos de ser chamados de “filhos de Deus”, nos tornou cidadãos celestiais… muitas coisas maravilhosas ele fez e legou a nós, porém esta terra não está nesse pacote… e se estivesse eu não ia querer! Graças a Deus o que está em jogo aqui é a Nova Jerusalém… e é para lá que eu quero ir!


Na segunda mensagem, Neuza Itioka também foi bem, porém fez citação de dados financeiros sobre uma declarada melhora da situação econômica internacional do Brasil… e mais uma vez isso me preocupou.

Estar sendo elogiado por órgãos como FMI, G7, Comunidade Internacional, ONU… não significa nada, pois todas elas já estão alinhadas com os planos dos Illuminati e servindo ao propósito do anticristo.

Outra informação passada foi que o Brasil inteiro foi ungido com óleo antes do presidente Lula tomar posse. Isso foi ótimo, mas o selo colocado em uma casa com o óleo da unção pode ser quebrado com a entrada de qualquer pessoa com influência demoníaca (segundo Rebecca Brown), logo eu pergunto: de que adiantou selar o Brasil, se no dia da entrega o Lula foi tomar banho de pipoca na macumba? O selo foi ou não quebrado?

Neuza Itioka é uma guerreira da batalha espiritual, uma mulher de boa vontade… porque está deixando que alguns detalhes lhe escapem?


Finalmente, meu último tópico: a adoração profética!

Aqui vale a pena citar que em todo o tempo o volume no local era altíssimo e a música tocada era sempre no ritmo rock ou, pior ainda, funk. O único que cantou algo diferente (para melhor!) foi Silas Quirino. Ressalto também os fundos musicais executados durante as preleções… quem sabe de apelo psicológico entende ao que me refiro.

Então, no meio daquela barulheira um pastor amigo meu perguntou: pra que ir para um baile funk se tudo que tem lá tem aqui?

E outra conhecida minha, ex-freqüentadora de centros de macumba e convertida ao evangelho de Jesus Cristo afirmou: Que coisa estranha… lá no centro as pessoas faziam os mesmos tipos de movimento que alguns aqui estão fazendo…

E essas foram as mais sinceras e verdadeiras observações: luzes piscantes, som ensurdecedor, batidas (bateria e contrabaixo) percorrendo o corpo, danças sensuais… manifestações estranhas. Meu amigo chegou a reconhecer técnicas de “animismo” (técnica que apregoa efeitos terapêuticos a movimentos da natureza) naquele meio…

Orei em espírito e pedi para que o Senhor testificasse em meu coração se aquele movimento estranho ao meu redor era da Sua parte: sinceramente cheguei a me desesperar e a desafiei a meu Deus, pedindo que ele me mostrasse o real significado daquela loucura… se necessário fosse, que eu até morresse naquele processo, mas que eu entendesse aquilo… que ele quebrasse possíveis barreiras e impedimentos, que perdoasse quaisquer pecados ocultos, que aumentasse a minha fé!!! Sabem o que aconteceu?

Nada. Definitivamente não senti paz sobre aquele “show”….

Ou o Senhor não ouviu minha oração, ou…

Termina aqui o meu relato. Não vou mais naquele lugar.

CONSIDERAÇÕES DO AUTOR

Creio que aqui é um ponto oportuno para que eu adicione meus comentários posteriores a este estudo. Após esse evento questionável passei a avaliar minuciosamente obras supostamente cristãs diante da verdade bíblica e os resultados podem ser vistos em análises como, por exemplo, "Guerra de Alto Nível" e "Uma Vida com Propósitos" e estudos de aplicação bíblica.

Uma primeira citação é sobre o "cântico espontâneo" executado por Ana Méndez. Mesmo sem saber e conforme relatado, alguma coisa nisto não havia testificado em meu espírito.

Algum tempo mais tarde eu tive a oportunidade de ler "Cânticos ou Mantras?", do pastor João A. de Souza Filho (Editora Faith) e encontrei uma clara e válida definição sobre como diferenciar um mantra de um cântico a partir da página 36:

"E muito de nossa adoração foi invadida pelos mantras coletivos de nossos cultos, em que refrões, ou repetições, a mesma 'batida' do ritmo, a repetição de sons e frases confundem-se com cânticos espirituais e não são! O mantra budista tem sons e palavras desconhecidas e misteriosas, tal qual no cântico espiritual - em línguas. O cântico espiritual em línguas segue o mesmo padrão porque é falado em "mistério", numa língua estranha! A diferença está que no "mantra" a pessoa é induzida, mas no cântico espiritual é uma operação do Espírito Santo. A semelhança ocorre quando o líder de adoração induz as pessoas, às vezes de forma imperceptível, com a mesma frase, ritmo, batida de tambores, etc. Depois aquele som e ritmo ficam martelando na mente todo dia! O verdadeiro cântico espiritual é conduzido pelo espírito, e não induzido por alguém, por música ou por batidas de instrumentos! Ele é melódico, tem altos e baixos. Eis aqui uma pequena regra espiritual: o cântico espiritual é melódico e tem altos e baixos, picos para cima e para baixo! Se colocado num gráfico pode-se averiguar a diferença entre os dois. O mantra opera numa mesma faixa sonora… Por isso Jesus orienta a adorar em espírito, mas também em verdade! A verdade nos afasta do perigo."

Quando li isso imediatamente me lembrei da apresentação incômoda que a "generala" fez… e, pior ainda, pois fiquei tão incomodado que nem consegui reparar no absurdo que foi pregado a seguir: "pacto com a sua terra"!!! Realmente não prestei atenção, mas essa história de "pacto com terra" parece mais coisa da "Teoria de Gaia", adoração das forças da natureza - pura exaltação da criatura no lugar do criador! Como eu não estava prestando atenção, não posso afirmar, mas não me surpreenderia com isso.

Outro tópico que citei anteriormente foi uma explicação sobre o "profético-apostólico"… dada por um pastor. Prestem atenção que este pastor é esperto, pois não angariou para si mesmo o suntuoso título de "apóstolo". O motivo é simples: os apóstolos foram aqueles citados no Novo Testamento e pronto! Qualquer um que se intitule dessa forma merece ser analisado com grande atenção: veja um interessante estudo sobre esse tema clicando aqui e confirmando a operação de engano desse termo, clique aqui.

Quanto aos políticos envolvidos e citados no texto, só posso classificá-los como "arroz de festa", pois estão em tudo que é cerimônia religiosa: missa pelo papa morto, aniversário de Israel na comunidade judaica (e até dançando!!!)… se isso não é ecumenismo, então é uma busca sedenta por votos ao nível do "vale tudo"!!! Cuidado com estes!

Quanto à Neuza Itioka, fiquei bastante triste quando descobri que ela estudou no suspeitíssimo Seminário Teológico Fuller… (se você não tem idéia do motivo pelo qual me refiro a esse seminário dessa forma, é melhor clicar aqui - desça até o subtítulo "Os Centros de Facilitação" e, logo abaixo, veja uma pequena descrição do Seminário Teológico Fuller!) Isso explica muito bem o bom relacionamento que ela consegue manter com pessoas como Ana Méndez e Daniel Mastral, cujo testemunho se equivalem, ressaltando as capacidades e métodos dessa mulher.

Certa vez assisti uma fita onde Neuza se ajoelhava perante uma multidão e pedia perdão por ter vendido "estrelas de Davi"! Isso aumentou bastante a credibilidade dela diante de todo o meu grupo, afinal não é todo dia que vemos um líder reconhecer seus erros dessa forma. Porém, após este estudo, eu mesmo enviei um e-mail a ela (através de seu site) alertando-a sobre os erros nos quais ela poderia estar se envolvendo, assim como avisei ao pastor Ubirajara Crespo e até mesmo ao Daniel Mastral. Sabem a resposta que recebi deles todos? Até agora, nenhuma…

Será que é tão difícil comparar o texto de um livro com a Bíblia?

Por último, tentei alertar aos próprios pastores envolvidos no grupo organizador deste evento. E essa foi a maior de todas as frustrações até aquele momento, como vocês podem ler aqui. Me fez até dar uma parada com tudo (inclusive este site) e repensar minha vida…

Meu problema é que não consigo abandonar meu Deus: depois que comecei a buscar pela santificação, como posso deixar de estudar e buscar? Como posso abandonar o caminho, a verdade e a vida? É difícil, mas se eu entrei pela porta estreita, não tenho mais como voltar atrás.

Tenho sido chamado de "soberbo", me tomam por "recém convertido" (por causa de meu entusiasmo por meu primeiro amor?) e sei que em breve poderei até mesmo correr riscos, mas não posso abandonar meu Senhor e Salvador Jesus Cristo… NUNCA!!!

Talvez me perguntem: mas não houve nada de bom? E eu respondo sem tremer: de que me valem 10 litros de água potável se neles há duas gotas de veneno mortal? Mesmo tendo examinado tudo e procurado reter o que é bom, infelizmente sou levado a crer que “o que é bom” disso tudo é a oportunidade de identificar estas infiltrações suspeitas na Igreja de Cristo.

Amados… a apostasia chegou galopando. Qual será o próximo movimento? Orem pelo “povo de Deus”… ou melhor… pelo “povo que pensa que é de Deus”.

Que Deus nos abençoe.

Teóphilo Noturno