Drop Down Menu

Creative Commons License
Texto sob licença Creative Commons

DENTRO / FORA

ESTE TEXTO FOI DIVIDIDO EM 4 PARTES:


1ª PARTE

2ª PARTE

3ª PARTE

4ª PARTE


INTRODUÇÃO

Quando se começa a estudar a Bíblia e levá-la a sério, também se começa a notar detalhes que todos podem até falar, mas não dão a devida atenção.

Uma dessas “máximas ignoradas” é quando todos falam que a Bíblia também é um livro histórico, mas poucos conseguem compreender a separação que deve ser feita entre os eventos e fatos que se relacionam ao culto (ou seja, que ocorreram dentro do tabernáculo / templo / congregação neotestamentária) e às outras coisas, que ocorreram no cotidiano das nações citadas na Bíblia (fatos históricos / o tal "rhema" / usos e costumes de Israel).

DANÇAS E PALMAS

Por exemplo, alguém pode me provar que alguma vez se dançou ou se bateu palmas dentro do tabernáculo / templo / congregação neotestamentária (de agora em diante, apenas congregação)? Miriã dançou sim, mas após atravessar o Mar Vermelho (Êxodo 15:20-21)… bem longe sequer da existência do tabernáculo! Ou seja, o fato de Miriã e todas as mulheres terem dançado foi algo relacionado à alegria única de todo o povo ter sido abençoado com um milagre de Deus. Foi algo único, pessoal e intransferível… foi um “rhema nacional”, por assim dizer.

Estava lendo um estudo do pastor Hélio de Menezes Silva e ele explica que o termo hebraico para o que Miriã fez é “chîyl”, que significa “dançar em roda circulante”. Nada de passos técnicos, nada de movimentos de balé, jazz, animismo, macumba… ah! E outro pequeno detalhe que foi absurdamente ignorado: NADA DE HOMENS!!!

A outra passagem que os dançarinos usam para justificar seu “ministério” é I Crônicas 15:25-29, onde Davi dança e toca diante da arca. Em primeiro lugar, a arca era ÚNICA e, por enquanto, seu paradeiro é desconhecido… e, ainda assim, a arca não era a congregação!!! O termo hebraico para a ação de Davi é “râqad”, que significa “dar grandes saltos; pinotear de alegria”.

Tive o desprazer de ler em uma comunidade do Orkut  um jovem que dizia que Davi estava de cueca nesse episódio!!! Será que esse jovem desconhece que o termo “fino” tanto faz referência à espessura quanto à qualidade?

O fato de Davi e os levitas estarem vestidos com um manto de linho fino (I Crônicas 15:27) não quer dizer que eles estavam vestido como vemos as adoradoras de Diana nos filmes (com sensuais e transparentes mantos que deixam ver tudo), muito pelo contrário! Davi e os levitas vestiam mantos de primeiríssima qualidade… por isso, finos! Acho que esse jovem (e muita gente por aí) deveria se dedicar mais ao estudo da língua portuguesa… não dá nem para querer ir discutir sobre o texto grego e muito menos o hebraico, se não soubermos nem nossa própria língua! (Sobre este episódio envolvendo Davi, também é digno de observação o estudo feito por Steve Wagoner.)

A maioria das citações de dança na Bíblia se aplica aos adoradores de outros “deuses”…

Mas esperem! Minha esposa achou alguém que entrou pulando no Templo! Em Atos 3 encontramos um homem (coxo de nascença!!!) que foi curado e, por isso, entrou no templo “andando, saltando e louvando a Deus” (v. 8). Mas isso não desmente nenhuma de minhas afirmações anteriores! Seus saltos testificavam a cura milagrosa recebida… não há citação posterior de outros saltos ou pulos dentro do templo, logo tais ocorrências são exceções à regra.

Apenas para concluir e antes que citem Salmo 149:3 ou Salmo 150:4… o termo hebraico nesses textos é “mâchowl”, cujo significado transcrevo abaixo:

“…deriva de uma raiz que significa simplesmente "volta". Pode significar girar alegremente numa roda. A clássica e excelente Edição Revista e Corrigida, da Bíblia, admite que, dependendo do contexto, mâchowl também pode ser flauta que toque em volteios; Clemente de Alexandria que, no ano 190AD, era muito melhor hebraísta que ninguém a partir da Idade Média, traduz a palavra em Salmo 150:4 como "coral-eco", isto é, "coro que responde em eco", ver "The instructor, Fathers of the church", pg. 130”

Não pretendo transcrever na íntegra o estudo do Pastor Hélio aqui, mas recomendo a visita e a leitura deste e de outros artigos (… só admito que, mesmo compreendendo a explicação sobre as palmas, não acho que o termo “sensual” seja aplicável a elas… mas isso é uma opinião pessoal!).

Logo, a teoria de que deve haver equipes (ou “ministérios”…) de dança nas igrejas é pura balela para lotar igrejas: a dança agrada aos jovens? Comer chocolate também! Ambos não são pecados, logo podemos criar um “ministério de comedores de chocolate”? Claro que não!!! A dança não tem poder algum, sua suposta “expressividade” pode ser perfeitamente comparada às danças dos rituais africanos, xamanistas, etc. Posso afirmar com segurança e biblicamente que:

NUNCA HOUVE DANÇA DENTRO DA CONGREGAÇÃO!

A própria utilização do termo “levita” pelas igrejas modernas é completamente errôneo, pois há condições bíblicas que desqualificam a grande maioria da humanidade para tal função, vejamos I Crônicas 15:2: Se a função dos levitas era carregar a arca, todos eles deveriam estar em Israel e nenhum em outros países.

Só que a arca, posteriormente, foi levada ao templo de Salomão (I Reis 8:4), onde então deveriam estar reunidos os levitas no exercício de seu ministério.

Só que o templo foi destruído em 70 D.C, o paradeiro da arca é atualmente desconhecido… e ela (a arca) é uma e somente uma… logo os levitas falharam em sua missão, ou então os existentes na atualidade estão bem quietinhos, escondendo a arca para revelá-la por ocasião da reconstrução do templo (fato este diretamente relacionado ao surgimento do anticristo!)… logo, se você se julgava “levita”, sugiro que reconsidere seriamente seu título e suas funções! (Sobre o assunto "levitas", sugiro a bem humorada série de oito artigos escritos por José de Souza Barbosa Júnior).

FINANÇAS

Quando iniciei meu compromisso de estudo bíblico não imaginava que fosse enfrentar tantas “zonas de turbulência”. Ainda na última semana, li um estudo sobre os dízimos que, no mínimo, é estonteante. O autor chama-se Brian Anderson e fez um estudo correto sobre a passagem de Malaquias 3:8-12, e não apenas o verso 10 como os pastores “malaquianos” (termo adotado da amada irmã Mary Schultze) fazem.

Não houve como escapar da sensação de “como eu não tinha visto isso até hoje?”. A única coisa que me ocorreu é que eu cresci aprendendo sobre a lei do dízimo e nunca, ninguém, teve a coragem de revelar a verdade da graça de Deus nessa área! Que pastor seria louco de libertar sua igreja do dízimo e passar a viver das dádivas? Como explicar às pessoas que, na dispensação da graça, a responsabilidade do dadivar é ainda maior do que a de “contar” 10% e pronto? Podemos classificar este caso também na categoria “dentro / fora”, só que dessa vez em relação às dispensações: O dízimo faz parte da dispensação da lei, enquanto a dispensação da graça nos traz o “dadivar”!

Não estou aqui para repetir as palavras do estudo, quero apenas para indicá-lo: não apenas por seu conteúdo correto, mas pela clareza e propriedade utilizadas na citação da palavra de Deus.

E a área financeira é, obviamente, um assunto que pode render longas discussões: pode alguém lucrar pela utilização da Bíblia? Como definir o que é essencial do que é supérfluo na vida de qualquer um? Como separar claramente o que seriam os custos (da produção de material didático, das viagens, hospedagens, alimentação…) e os lucros (quanto custa o “fator humano” por cada seminário, apresentação…).

Admito que fico um tanto perplexo diante da destes assuntos: por enquanto tenho usado em minha vida e em meu ministério o núcleo do texto de Mateus 10, quando o próprio Jesus instrui os seus discípulos sobre como proceder — “… de graça recebestes, de graça daí.” (Mateus 10:8b) — Não teria o mínimo sentido que eu cobrasse algo apenas por ter estudado a Bíblia e buscado o entendimento! Principalmente porque, vindo este entendimento da parte de Deus através de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo e revelado pelo Espírito Santo… que mérito tenho eu, reles pecador rebelde?

Os fatos acima voltam a ter relação com a classificação “dentro / fora”, porque a Bíblia repele qualquer forma de comércio dentro da congregação. O próprio Jesus Cristo expulsou os mercadores que estavam dentro do templo (Mateus 21:12-13; Lucas 19:45-46), fazendo questão de afirmar que a congregação deve ser chamada de casa de oração. Vejam que ele não foi até uma feira ou a um mercado fazer isso… porque então temos igrejas que permitem barraquinhas diversas (e até mesmo shopping centers!) em suas instalações? Não seria essa mais uma deturpação contemporânea?

MULHERES

Outro ponto polêmico é a criação moderna das “pastoras”, “apóstolas”… quem me mostra uma mulher que exerceu papel de liderança NA CONGREGAÇÃO?

Rute, a moabita, sempre fiel à Noemi, trabalhando no campo de Boaz e vindo a casar com ele…

Débora, mulher profetisa, assentava-se debaixo das palmeiras e lá julgava. Auxiliou Baraque (…“auxiliou” é pouco: liderou mesmo!) na vitória sobre Sísera.

Miriã foi profetisa, Ana foi profetisa, Maria Madalena foi anunciar a ressurreição de Jesus aos discípulos… mas nada disso foi dentro da congregação!!!

A única citação que temos é a de Febe, que (segundo Romanos 16:1) servia na igreja em Cencréia. Ora, o termo grego utilizado para “servir” nesta passagem é perfeitamente explicado por José Pedro M. de Almeida no trecho abaixo:

“É necessário esclarecer que a palavra “diakonon” ou na sua forma verbal “diakoneo”, que foi aqui traduzida como “uma serva”, tem dois sentidos: um sentido geral no qual se encaixam todos os crentes (exemplos: I Coríntios 3:5; Efésios 3:7; 6:21; Hebreus 6:10; I Pedro 1:12, 4:10-11) e um sentido estrito, específico que é o oficial da igreja local (exemplos: Atos 6:1-7; I Timóteo 3:10,13) cujo contexto só se refere a homens, mesmo porque o diácono também deve ser marido de uma só mulher (I Timóteo 3:8-13; Filipenses 1:1). É óbvio que, no texto de Romanos 16:1, a irmã Febe era uma serva no sentido geral em que todos os crentes se encaixam e não “uma oficial” da igreja. A referida irmã tinha um valioso dom de misericórdia para com todos os membros da igreja, bem como para com o próprio apóstolo Paulo (Romanos 16:2). Os que advogam a instituição da “diaconisa” incorrem no gravíssimo erro de se montar uma doutrina com um argumento fraquíssimo e apenas em cima de um único versículo que não encontra respaldo nos textos afins, muito pelo contrário, violando-os todos.”

Mais uma vez vemos centenas de igrejas largando a Bíblia em prol da modernidade!

Como podemos ver, o papel feminino é importantíssimo! Juízas, profetisas… hoje em dia eu não vejo criaturas mais fiéis em oração que as mulheres! Não há nada que as mulheres não possam fazer… só não devem ir contra a palavra de Deus (Sobre esse tema sugiro a leitura do estudo do Pastor Luiz Antônio Ferraz, se possível siga também para o texto do Pastor Wayne Camp e, finalmente, baixe o arquivo ".pdf" sobre o espírito de Jezabel do site "Fundamentalismo Bíblico").

Um fato curioso que pude ler na página 12 de revista Eclésia (Ano 10. Edição 110) é que houve a ordenação de uma pastora entre as Assembléias de Deus da CONAMAD. O que me chamou a atenção foi a declaração espontânea, colhida da própria pastora recém-ungida: “Nunca cogitei ser pastora. Estou lisonjeada. O Senhor é quem capacita. Ele deve ter grandes coisas a fazer através da minha vida.”

O filho do bispo Manoel Ferreira — título não previsto na tradição assembleiana — pastor Samuel Ferreira, disse que “sentiu a direção de Deus” para ordenar aquela famosa cantora gospel.

O mais espantoso nisso tudo são as declarações da CGADB (“Essa ordenação contraria a ortodoxia da doutrina das igrejas da denominação e é totalmente nula”) e do evangelista Salan Nemer, da Assembléia de Deus Ministério Brás, filiada à CONAMAD. Afirmando que sequer foram consultados sobre a consagração da artista, protestou: “A decisão é exclusiva da dinastia Ferreira, que dita as regras”.

Agora eu pergunto: Assim como os títulos da nobreza inglesa, “pastor” virou apenas um título? Pode-se ungir um pastor subitamente… sem preparo e sem vocação? E “pastora”… pode?

Questiono seriamente as cadeiras das faculdades teológicas atuais (Marketing? Psicologia?). Gostaria até de cursar teologia, mas me imagino enfiando a Bíblia na cabeça de um desses loucos evolucionistas que possa vir a ser meu professor… as discussões tomariam aulas e mais aulas! Mas, mesmo assim, julgo tal preparo importante e, por isso, acho que nunca serei um teólogo diplomado.

Não vejo boas coisas nesses episódios que se tornam cada vez mais comuns entre as igrejas protestantes, ou seriam evangélicas? … não, pois agora temos as igrejas “gospel”!!!

CONCLUSÃO

Acho que toda essa infiltração de sujeira e doutrinas antibíblicas já faz parte da apostasia prevista. Satanás vem planejando esse momento a milênios, aguardando para enfraquecer o povo de Deus, impedi-lo de atingir a santificação de acordo com o modelo bíblico… criar uma “casa dividida”.

Quantos de meus irmãos estão ligados a um ministério de dança ou adoração extravagante? Quantas pastoras eu conheço? Qual igreja não recolhe o dízimo? Qual igreja não tem se usado de analogias das atrações do mundo para buscar mais gente em seus prédios? Tais atrações não seriam formas de trazer o mundo para dentro da igreja? O simples fato de Jesus Cristo estar deixando de ser a “atração principal” e o único motivo das pessoas irem até a igreja já não faz com que um determinado prédio possa perder o título de igreja e passe a se chamar de “clube”?

É tão terrível ver pessoas que agem em nome de Jesus, mas contrariam a palavra de Deus… creio que por isso mesmo Jesus disse:

“Hipócritas, bem profetizou Isaías a vosso respeito, dizendo: Este povo se aproxima de mim com a sua boca e me honra com os seus lábios, mas o seu coração está longe de mim. Mas em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos dos homens.” (Mateus 15:7-9)

“Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! Entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? E em teu nome não expulsamos demônios? E em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade. Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente…” (Mateus 7:21-24a, com sublinhado meu)

A vontade de Deus não está mais expressa na Bíblia? Que novas revelações são essas que estão modificando todo o culto racional prescrito pelo próprio Deus? Ora estas “revelações” estavam previstas por Paulo:

“Se alguém ensina alguma outra doutrina, e se não se conforma com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, e com a doutrina que é segundo a piedade, é soberbo, e nada sabe, mas delira acerca de questões e contendas de palavras, das quais nascem invejas, porfias, blasfêmias, ruins suspeitas. Contendas de homens corruptos de entendimento e privados da verdade, cuidando que a piedade seja causa de ganho; aparta-te dos tais.” (I Timóteo 6:3-5)

“Porque virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; e desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas.” (II Timóteo 3:3-4)

“Maravilho-me de que tão depressa passásseis daquele que vos chamou à graça de Cristo para outro evangelho; o qual não é outro, mas há alguns que vos inquietam e querem transtornar o evangelho de Cristo. Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema.” (Gálatas 1:6-8)

“Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.” (Tiago 4:4)

Tenho certeza que os temas que abordei acima são explosivos e, como sempre, me disponho a receber refutações, opiniões e sugestões, desde que devidamente acompanhadas da base bíblica para tal. Quem me escreve com argumentação bíblica sólida sabe que eu mesmo busco responder às mensagens… mesmo que demore um pouco.

01/07/2009: Ainda sobre ofertas questionáveis, não deixe de ler "Seu Melhor… É O Que Deus Quer?".

Que Deus nos abençoe, proteja e guie hoje e para todo o sempre.

Teóphilo Noturno